Novidades Informação

Muito bem conectados e muito mais expostos

 
 
Cadastre-se aqui. A curta frase é tão usual que suas implicações, muitas vezes, passam despercebidas por grande parte dos usuários da grande rede mundial de computadores. Dispor os dados pessoais para ter acesso a serviços dentro da internet é fato corriqueiro para quem tem acesso ao mundo digital. No entanto, fatos como o acontecido na última semana, com a invasão de computadores por hackers em nível mundial, demonstram que cuidados nunca são excessivos para quem navega na grande rede. Afinal, é possível estar conectado sem se manter exposto dentro da internet?
 
Especialistas apontam que, apesar de ser muito difícil manter-se totalmente seguro na grande rede, os usuários podem se manter melhores preparados para aproveitar esses ambientes de forma mais segura.
 
A grande questão é que, quando se acessa a internet, qualquer que seja o computador, é deixado para trás um rastro de navegação: o que se visita, o que é baixado, endereço de e-mail e até senhas, além de dados pessoais. São vários os dados cedidos em transações de diferentes níveis na plataforma digital.
 
Os usuários ofertam suas informações ao contratar um cartão de crédito, fazer uma compra, acessar uma rede wi-fi, participar de uma enquete, visitar sites, cadastrar-se em uma nova rede social. Os dispositivos usados para a captação de dados são muitos e, por isso, arriscados.
 
Quando reunidos, todos os vestígios deixados por buscas, dados de navegação e informações cadastradas formam um perfil indissociável da figura real que se encontra por trás da tela. Os vários sinais do que se faz, para onde vai, quanto se gasta, o que consome, como se comunica, formam um perfil claro do usuário. E é dessa forma que a disponibilidade dessa grande quantidade de dados – o Big Data – está mudando profundamente a forma como o ambiente digital é organizado – para o bem e para o mal.
 
Com a disponibilidade de entender melhor o perfil dos usuários, empresas passam a redistribuir, através de algoritmos, os conteúdos que possam ser mais interessantes para cada pessoa ser ‘atingida’ dentro da rede. Mas é também com as informações dispostas na internet, que hackers se aproveitam para capturar informações e usá-las em favor da realização de crimes. Por isso, é inegável: nunca as pessoas estiveram tão expostas.
 
Para entender como se dá o uso e os riscos que correm os usuários da grande rede, bem como entender os recursos utilizados para que a experiência digital possa ser mais segura e responsável, o Especial Transmídia do Jornal O DIA conversa com especialistas a respeito do tema. Como é possível estar mais conectados e menos expostos?
 
Continue lendo aqui.
 
Texto: Glenda Uchôa - Jornal O Dia
Fonte: Portal O Dia
 

 

Compartilhe